A escritora, filósofa e ativista Djamila Ribeiro foi a entrevistada da edição do Pensando Bem Ao Vivo desta segunda-feira (21) e apontou “a opressão é de raça, classe e gênero”. Ela participou do bate-papo com o advogado e diretor do Instituto Declatra, Nasser Allan, sobre o significado de 2020 para a luta racial. Ambos ainda conversaram sobre os ataques ao programa de trainee do Magazine Luiza, mercado de trabalho e outros temas ligados à questão racial.

“As mulheres negras são a base da pirâmide porque é o grupo atravessado (na visão interseccional) pela opressão de raça, classe e gênero. Se são estruturais e estruturantes acabam vulnerabilizando ainda mais esse grupo social. Não podemos negar que um País que acumula quase quatro séculos de escravidão, em que pessoas eram mercadoria, as consequências de uma população que trabalhou de graça. Mais do que isso, não tiveram direito trabalhista, não tiveram políticas reparadoras e ficaram completamente alijados de direitos. Em nossa concepção falarmos de classe é falarmos de raça e de gênero”, analisou ao apontar dados que demonstravam que um homem branco, em média, recebe o dobro que uma mulher negra no mercado de trabalho.

Djamila ainda conversou sobre os o mito da democracia racial, a importância de políticas públicas afirmativas, o acesso ao ensino superior,  lugar de fala, os programas policiais e a legitimação da criminalização das periferias, a questão cultural, a democratização da mídia, como apoiar a luta antirracista, a violência contra a população negra e o racismo estrutural. Confira estes temas e muitos outros acompanhando a entrevista na íntegra no player abaixo:

:: Nos siga também nas mídias sociais: 

– Instagram
– Facebook
– YouTube

Compartilhe