O Brasil está em chamas. O País que concentra boa parte das reservas naturais e de biodiversidade do mundo observa passivamente tudo isso, literalmente, virar cinzas. Somente o Pantanal já teve 15% de sua área total devastada pelas chamas, segundo estudo divulgado pelo Centro Nacional de Prevenção e Combate aos Incêndios Florestais (Prevfogo). Este foi o tema do iDeclatra na Cultura desta quinta-feira (17) com os advogados e diretores do Instituto Declatra, Mírian Gonçalves, Ricardo Mendonça e Nasser Allan, ao lado da jornalista Mariane Antunes.

“Quando falamos percentuais é mais difícil imaginar, ter noção real do que estamos falando. Pois bem, essa área queimada do Pantanal representa 2.3 milhões de hectares. Mas se não está bem claro ainda, significa todo o território de Sergipe ou quase quatro vezes a área do distrito federal. Isso falando apenas do Pantanal. É estarrecedor”, argumentou Mírian.

“As pessoas costumam não dar muita bola, pois parece algo distante. Só começam a enxergar quando começa a sofrer diretamente os reflexos desta devastação, como por exemplo, quando têm problemas respiratórios ou ainda veem a fumaça viajar milhares de quilômetros e chegar na sua cidade, como aconteceu em Curitiba”, completou Ricardo Mendonça.

Para Nasser Allan, contudo, esta não é uma ação involuntária ou que reflita a incompetência do Governo Federal no setor. Segundo ele, este é o objetivo na gestão do meio ambiente. “ De que adianta pedir a cabeça do ministro do meio ambiente? Não existe uma política de meio ambiente relapsa e negligente. Existe sim uma política de destruição. Eles não estão fazendo porque são incompetentes, eles estão fazendo competentemente o que desejam: destruir. Eles não são irresponsáveis, são responsáveis porque estão fazendo o que planejaram”, analisou.

Mirian Gonçalves ainda fez um desafio. “Gostaria de pedir aqui, estou aqui instigando, para que deputados, senadores, encaminhassem um Projeto de Lei que proibisse a criação de animais na área da pecuária nas regiões de queimada por fogo provocado. Desafio todos e de qualquer partido”, apontou.

Nesta edição ainda foram debatidos temas relacionados como o papel das forças armadas neste cenário, os cortes de recursos públicos para combater queimadas e a grilagem, as campanhas internacionais contra o que acontece no Brasil, a possibilidade de reflexos econômicos em função de embargos externos, a situação do Instituto Chico Mendes, a redução na aplicação de multas por parte do IBAMa e muito mais você confere, na íntegra, no vídeo abaixo.

Não se esqueça: O iDeclatra na Cultura é transmitido todas as terças e quintas-feiras, ao meio-dia, na Rádio Cultura de Curitiba. Você pode acompanhar o programa ao vivo pela AM 930, pelo site, pela Fan Page do Instituto Declatra ou da própria Rádio Cultura.

Foto: Mayke Toscano /Secom-MT / Fotos Públicas

Compartilhe