Nos últimos anos um projeto da Comissão Interamericana de Direitos Humanos (CIDH) visitou 18 presídios em sete diferentes países da América Latina. Estes locais, com altos índices de contaminação por doenças como a tuberculose, também foram afetados pela pandemia de Covid-19. Enquanto os Estados debatiam as melhores maneiras de conter a doença entre a população carcerária, o fotógrafo Francisco Proner, acompanhou a comissão e registrou o cotidiano destes presídios. O resultado está em uma mostra fotográfica denominada “Deste Lado do Muro” que será aberta na próxima quarta-feira (22).

As 30 imagens que compõem o acervo estarão expostas na Sede dos Núcleos Especializados da Defensoria Pública PR, na rua Benjamin Lins, 779, no bairro Batel. Com o olhar sensível e crítico, Proner captura imagens impactantes em prisões no Brasil e em alguns países latino-americanos. As imagens sintetizam, de modo dramático, as agruras vividas pela população carcerária e convidam a fazer uma reflexão sobre as políticas públicas implementadas em presídios.  A obra no leva também a observar a ausência dos direitos humanos e o tratamento discriminatório que recebem as pessoas que estão cumprindo pena em cárceres na América Latina.

Francisco Proner atualmente atua como fotojornalista freelancer para veículos de comunicação no Brasil e no Mundo e já teve seu trabalho estampado em jornais como New York Times, The Washington Post, The Guardian, Le Monde e El País. A entrada é franca e vai até o dia 19 de agosto das 9h às 18h.

Compartilhe