Um projeto de absorventes e tampões biodegradáveis para combater a pobreza menstrual está ganhando destaque internacional. Concebido pela designer brasileira Rafaella de Bona, com o apoio também do Instituto Declatra, a ideia foi finalista do prêmio Young Inventors Prize 2022. A seleção ocorreu a partir do reconhecimento de um produto sustentável para grupos em situação de vulnerabilidade.

Projetados a partir de fibras vegetais, de baixo custo e acessíveis, eles deverão ser lançados oficialmente a partir de uma campanha “compre um, doe um”.  “Conversando com moradores de rua, descobri o problema conhecido como pobreza menstrual”, explica Rafaella. “Para mim, foi uma descoberta chocante, pois não tinha pensado nisso antes. Pensei: ‘Sou mulher e não sabia disso. Quem está olhando para esse problema?’ E então optei por fazer um produto que abordasse isso”, completa a designer.

O reconhecimento público não tardou. “A abordagem da Rafaella de Bona Gonçalves na resolução de problemas é inteligente e empática. Ele aborda duas questões simultaneamente: aumenta o acesso das mulheres aos produtos sanitários necessários e, ao mesmo tempo, transforma um fluxo de resíduos em um material valioso”, afirma o presidente da EPO, António Campinos, anunciando os finalistas do prêmio Young Inventors prize 2022.

“Quando recebemos a ideia do projeto, imediatamente, percebemos que era uma iniciativa que deveríamos apoiar. Está dentro de tudo que acreditamos: apoio à populações de baixa renda ou em situação de vulnerabilidade, inovação e também de forma sustentável”, relata a diretora do Instituto Declatra, Mírian Gonçalves.

Os vencedores do prêmio Young Inventors prize 2022 serão anunciados na cerimônia virtual do European Inventor Award do EPO, que será realizada no dia 21 de junho.

Compartilhe